O anel pavê é um procedimento muito utilizado e realizado nas joalherias atuais, passadas de geração em geração, que tem o objetivo de cobrir um determinado espaço da joia com pedras de diamantes (de várias escalas).

Esse processo precisa ser feito com muita cautela e precaução, a fim de garantir a qualidade da peça e prolongar a durabilidade e vida útil dela.

venha com a Hésttia para que compreenda a importância do anel pavê suas aplicações na sociedade atual, entendendo os benefícios específicos que pode oferecer e as necessidades que podem ser sanadas a partir desse processo.

O que é anel pavê?

O anel pavê, como previamente citado, é uma técnica aplicada por diversas joalherias que consiste na integração de diamantes ou zircônias em uma determinada área de uma joia específica.

O termo “pavê” é derivado do dialeto francês e significa “pavimentação” quando traduzido. Assim, é possível observar que todo o processo tem a função de transmitir uma imagem e ideia de pavimentação de uma rua, por exemplo.

Por isso, ao posicionar as peças de diamante ou zircônias na joia em questão, é criado uma impressão de pavimentação real, ao fazer memória dessa técnica.

Essa técnica é um tanto quanto antiga, mas ainda muito utilizada pelas joalherias atuais, sendo considerado um trabalho delicado e extremamente habilidoso.

Hoje em dia, muitas vezes, é utilizado um (ou mais) microscópio para posicionar da forma mais correta possível a direção e o espaço entre as mais variadas pedras de diamante.

Ademais, o formato da pedra precisa ser uniforme e o tamanho das pedrinhas tem que ser igual, procurando atingir uma universalidade entre fatores a exemplo do tamanho, cor e lapidação.

Outro elemento importante para assegurar a qualidade do material é a produção própria dos diamantes, ou, em outros casos, o fornecimento adequado desse produto indispensável para a realização da técnica discutida.

A produção ou fornecimento de diamantes ou zircônias que não são corretamente lapidados ou cortados do mesmo tamanho pode influenciar de forma direta no resultado final da aplicação, mexendo com todo o fluxo envolvido desse processo.

Nesse contexto, é possível afirmar que a técnica citada precisa ser posta em prática a partir de movimentos de perfuração calculados de maneira milimétrica, buscando sempre a perfeição e a constância entre as pedras de diamante ou zircônia.

Em vista disso, podemos ressaltar que há uma grande necessidade em escolher com cuidado e calma o local e os profissionais que irão realizar esse procedimento.

Sendo assim, serão listadas abaixo algumas dicas que podem ser postas em prática para ajudar você a escolher de modo sábio lojas e profissionais qualificados para o exercício da prática do anel pavê.

Em vista disso, é possível perceber que essas dicas podem ser muito úteis quando o assunto é buscar a melhor forma de comprar o serviço do anel pavê.

O processo do anel pavê, por mais que seja antigo, ainda não é dominado por todas as joalherias presentes no nosso meio.

Isso faz com que muitas lojas de joias ofereçam o serviço sem que tenham a devida qualificação e domínio de técnica para realizar a ação com maestria.

Por isso, é fundamental que você, consumidor e detentor da peça que será posta na técnica do anel pavê, tenha pleno conhecimento sobre quais as qualificações estão procurando, a fim de não se decepcionar com os resultados finais.

Além disso, destaca – se que a técnica pode ser considerada um tanto quanto perigosa se realizada de forma imprudente, podendo prejudicar não só a pessoa que está prestando o serviço, mas também o objeto e o indivíduo que o utilizará.

Anel Pavê
Anel Pavê

Qual o contexto do anel pavê?

É inegável que vários metais preciosos fizeram parte de um importante papel durante os séculos de história antiga que sabemos.

Os reinos e nações utilizavam desses materiais, principalmente da prata e do ouro, para realizarem ações de compra e venda, sejam elas de pequeno porte ou de grande valor.

Assim, é fato que já estamos familiarizados com os conceitos de metais preciosos e da importância que eles obtiveram nos períodos passados.

Além desses metais preciosos conhecidos de forma ampla na nossa sociedade, tinha também a presença de pedras preciosas, a exemplo do diamante, que se faziam muito presentes no cotidiano dos reis e imperadores do passado.

Assim, comprar, vender e comercializar outros produtos a partir da presença e utilização dessas pedras preciosas, a exemplo do diamante, era muito comum e efetivo para as nações anteriores, tendo muita influência econômica na época.

O diamante é a pedra mais dura e resistente até os dias atuais, só podendo ser riscado ou danificado a partir de outro diamante por ser um material igual em composição, uma vez que apresenta resistência dentre tantos outros.

Porém, o que muitos de nós ainda não reconhece, é a constância e a presença que esses metais e pedras preciosas ainda ocupam no cotidiano da sociedade atual, fazendo parte do nosso cotidiano muito mais do que observado.

Mesmo que tenham perdido seu poder de compra e decaído drasticamente de valor aquisitivo, os metais e as pedras preciosas ainda podem ser muito observadas no meio social atual.

Com a evolução da sociedade, houve também a evolução e modernização de formas de pagamento, não sendo mais necessária a utilização de barras e moedas de ouro e prata para ações simples e complexas de compra e venda.

Assim, esses metais e pedras preciosas foram sumindo aos poucos da vista da sociedade.

Porém, mesmo que não tão aparente quando antigamente, de fazem presente sendo base de objetos muito atuais, principalmente joias e semijoias.

Em vista disso, com o surgimento dos novos objetivos a serem assumidos por esses metais e pedras preciosas, surgiu também a presença de técnicas que têm a finalidade de melhorar as condições e qualidades desses objetos.

Um exemplo muito claro dessas técnicas é justamente o procedimento do anel pavê, que consiste na implementação de pequenas pedras de diamante em diversas peças de joias.

Esse processo tem como principal objetivo tornar as joias esteticamente mais bonitas de acordo com o pedido do consumidor, dando um ar de elegância e classe ao mesmo tempo.

Dessa forma, o anel pavê se tornou essencial e ideal para aqueles que buscam um toque de classicismo e estilo vintage agregado as suas peças utilizadas no dia a dia, sejam um anel, colar, brinco ou outras joias semelhantes.

anel pavê
anel pavê

O anel pavê é apenas em diamante?

A prática da técnica do anel pavê é muito conhecida por toda a sociedade atual, porém ainda não se sabe exatamente quais as suas especificações.

Por exemplo, o anel pavê só pode ser feito em diamante? A resposta é bem ampla, uma vez que depende do seu ponto de vista.

Faremos uma exposição nesse artigo acerca dos fatos que rondam esse procedimento, dando alguns pontos de vista para que você decida a resposta para essa pergunta no final do texto.

O “pavê”, como já foi explicado, vem do francês e significa “pavimentar”, ou seja, cravar diamantes e zircônias em uma joia específica para melhorar a estética e estrutura desta.

Sendo assim, todos os objetos que passam por esse processo de pavê são compostos por diamantes ou zircônias.

Entretanto, essa técnica não recobre inteira e integralmente toda a peça, fazendo com que ela seja, também, de outro material que não o diamante.

Dessa maneira, é possível observar que o anel pavê é uma ação muito requisitada e que oferece inúmeras oportunidades para melhorar a sua joia e a tornar mais clássica e vintage.

Diante aos fatos, fica explícito que o anel pavê é sempre composto por uma ou mais pedras de zircônia, mas não deixa de ter a presença de outros materiais em sua base, a exemplo do ouro, ouro branco, prata, entre tantos outros.

Por isso, quando a pergunta é se o anel pavê é apenas de diamante, vai depender do seu ponto de vista.

Quando perguntar se essa pedra preciosa recobre cem por cento do espaço e área reservados da joia, a resposta é não, pelo menos não necessariamente, a não ser que você, consumidor, decida e peça para que seja.

O clássico da joalheria

A técnica do anel pavê é muito utilizada em várias lojas de joias no Brasil e no mundo. Assim, fica perceptível o valor cultural que esse procedimento adquiriu ao longo dos anos que esteve presente na sociedade.

Sendo assim, é possível fazer a afirmação de que, apesar de ainda ser praticada até os dias atuais, se refere à aspectos clássicos.

O processo do anel pavê tem como um dos principais objetivos promover um embelezamento estético de uma joia ou semijoia, a partir da cravação de pedras de diamante nesses objetos específicos.

Diante disso, fica claro que essa mudança de estrutura e estética reflete na imagem que a joia passa para o exterior.

Se antes ela era apenas uma joia em ouro, ouro branco, prata ou outro material, quando inserido a prática do anel pavê, passa a transparecer um ar ao mesmo tempo mais elegante, clássico e vintage.

Ou seja, se você busca dar um toque especial na joia que possui, seja ela um anel, colar, brinco ou pulseira, essa é uma ótima opção para ser adotada.

O clássico da joalheria pode ser definido como clássico tanto por ser uma prática antiga que é realizada até os dias atuais, quanto por dar uma elegância a mais e promover uma imagem mais classicista das joias submetidas a esse processo.

Por isso, é possível afirmar que essa prática está muito mais presente no meio social do que geralmente conseguimos observar, uma vez que a maior parte das pessoas que são amantes de joias de qualidade possuem, no mínimo, pelo menos uma peça desse objeto com a pavimentação de pedras preciosas (diamantes).

anel pavê
anel pavê

O que podemos concluir a partir do exposto?

Diante aos fatos expostos nesse artigo, fica explícito que o anel pavê é uma prática relativamente antiga e ainda muito utilizada no nosso cotidiano atual.

Assim, as joias e semijoias que possuem a presença de diamantes em sua composição externa são peças e objetos ainda muito constantes na social.

Por isso, é capaz fazer a afirmação de que essa técnica consegue trazer preceitos clássicos para a nossa atualidade, fazendo uma transição e ligação entre esses dois períodos da história da sociedade (o antigo e o atual).

A partir dessa ligação promovida pelo anel pavê, conseguimos observar que os aspectos clássicos trazem uma perspectiva ao mesmo tempo vintage, por lembrar um período antigo, com um olhar elegante, por lembrar o período atual.

Essa técnica é muito utilizada para promover a cravação de diamantes em peças de valor sentimental muito maiores, a exemplo do anel de noivado, aliança de casamento, anel tradicional de quinze anos, anel de formatura, colares especiais, brincos com significados a mais, entre muitos outros.

Sendo assim, fica claro que o procedimento do anel pavê ainda é realizado com muita frequência, atendendo as particularidades e necessidades específicas de cada pessoa (cliente) e a joia ou semijoia que ela leva consigo, resultando em um ar clássico e elegante para compor os objetos em questão.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.